Fellini, ranqueado

Terminado o curso sobre o cinema de Federico Fellini e a revisão de quase todos os seus filmes, resolvi criar este ranking, do melhor ao pior.

Na nova série de revisões, dois filmes subiram bastante: Julieta dos Espíritos e Cidade das Mulheres. Julieta dos Espíritos continua 8 e 1/2 no mergulho na fantasia e no onirismo da mesma maneira que Roma continua Satyricon no retrato dos romanos, antes continentais, agora restritos a uma cidade, e Entrevista continua Roma na audácia do documental íntimo e saudosista, reduzindo a cidade romana a uma cidade cinematográfica, a Cinecittá. Cidade das Mulheres continua Casanova na derrocada do macho latino. Duplas de filmes, espelhamentos. E La Nave Va aperfeiçoa Ensaio de Orquestra. Noites de Cabíria aperfeiçoa A Estrada.

As revisões confirmaram também que o Fellini que mais me toca é o delirante, do onirismo e do grotesco. O Fellini realista eu admiro mais à distância, com a exceção de Noites de Cabíria, que já está num movimento de saída do neorrealismo para a narrativa fragmentada e irrealista dos filmes seguintes.

Hoje, dezembro deste terrível 2020, a ordem seria esta, subdividida em blocos de aceitação:

As obras-primas:

Satyricon

Roma

E La Nave Va

A Doce Vida

Noites de Cabíria

Os sublimes

8 e 1/2

Amarcord

Casanova

Julieta dos Espíritos

Os ótimos

Cidade das Mulheres

Os Boas Vidas

A Trapaça

Toby Dammit

Os Bons

Entrevista

Ensaio de Orquestra

A Estrada

As Tentações do Sr. Antônio

Os Palhaços

Os bons

A Voz da Lua

Abismo de um Sonho

Ginger e Fred

O razoável

Mulheres e Luzes

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: